sábado, 28 de novembro de 2009

Cenários para o mercado de trabalho em Meio Ambiente & Petróleo

Por: Mauro Kahn

O setor ambiental será alvo de investimentos bilionários, caso sejam aprovados os projetos de lei que lhe destinam 3% dos royalties do petróleo e ainda uma parte dos recursos do novo Fundo Social. Já no caso da cidade do Rio de Janeiro as cifras serão ainda maiores em função dos Jogos Olímpicos, que demandam, desde já, a recuperação de áreas degradadas, plantio de árvores, inúmeros licenciamentos ambientais, entre muitas outras ações que farão com que esta cidade volte a ser maravilhosa.

Além disso, o Brasil assumiu uma posição de liderança entre os integrantes do "BRIC" no que se refere ao comprometimento ao meio ambiente e hoje é alvo de respeito entre os paises desenvolvidos. A contrapartida por tal posicionamento será a obrigação de tomar medidas efetivas e de investir pesado para a obtenção de resultados significativos.

Com relação à Indústria do Petróleo já se vislumbra que no Estado do Rio ela crescerá de forma nunca antes imaginada. Sabe-se muito bem que o "Pré-sal" caracteriza-se por grandes desafios, assim como por elevados riscos, e que estes fatores irão multiplicar muitas vezes os investimentos no desenvolvimento de uma nova logística offshore e tecnologia para o E&P.

Neste momento observamos que nossas estimativas mais otimistas estão sendo confirmadas (para Tupi já se especulam reservas de 8 bilhões de barris). Fato é que os referidos desafios do pré-sal estão sendo eficientemente superados, e no momento, nossa maior dificuldade é a falta de mão-de-obra qualificada.

O consenso entre os profissionais da Indústria é que faltarão técnicos e gerentes capacitados no Brasil. Cursos técnicos, faculdades e pós-graduações precisam se ajustar ao atual estado da arte para poderem formar exatamente o perfil necessário para estes cargos.

Muitos já perceberam que o futuro dos empregos no Rio de Janeiro está concentrado no setor de petróleo e na área ambiental. Nós do MBP e do MBE estamos seguros de que esta tendência é real e crescente, e que devemos estar preparados para as novas exigências do mercado e para a demanda que já desponta.

Postar um comentário